quarta-feira, 1 de agosto de 2012

42º Capitulo - Finalmente os dezoito (Parte I)


(Nicole)

Assim que entrei em casa dos rapazes senti os olhares todos postos em mim. Estremeci da cabeça aos pés quando tive o primeiro contacto visual com o Zayn. Deixou-me completamente desorientada, fora de mim. Tudo parou naquele instante, não havia mais ninguém naquela sala. Fiquei presa aquele olhar penetrante que me derretia, que me fazia sempre sorrir. A minha atenção foi desperta quando todos começaram a rir depois do Niall ter dado uma cotovelada ao Zayn. O sangue aflorou rapidamente nas maças do meu rosto, fiquei envergonhadíssima. Fui salva pela voz da Mia indo em direcção à menina especial do Liam. A Danielle pareceu-me bastante simpática e o Liam também a adorava. Nunca o tinha visto assim tão, nem sei explicar, talvez apaixonado. 

O som da barriga do Niall fez com que fossemos todos jantar. Tudo o que estava naquela mesa tinha sido da autoria do cozinheiro Harry. Cheirava tudo maravilhosamente bem. O Harry bem tentava falar com a Mia mas ela era demasiado teimosa e casmurra para dar o braço a torcer. Até a Danielle reparou que havia algo de estranho entre eles os dois.  

(…)     

Sem darmos muito por isso tinha-se aproximado da meia-noite. Estava prestes a fazer dezoito anos. Assim que chegou a meia-noite senti a Mia a saltar literalmente para cima de mim e a gritar “parabéns” aos meus ouvidos. Coitados dos meus tímpanos, quase que saíam furados. Ela encheu-me a cara de beijos e só parou quando começaram todos a reclamar. “Gosto muito de ti, amor da minha vida” disse-me enquanto me abraçava, a qual eu respondi de igual forma. O segundo foi o Zayn a dar-me os parabéns. Arrepiei-me da cabeça aos pés quando os lábios dele pousaram suavemente na pele da minha face. Parecia que estava em convulsões. Tive que fechar os olhos por um instante devido á elevada carga de adrenalina que percorria o meu corpo. Todos me deram os parabéns mas o Louis tinha que ser diferente. Teve que me pegar estilo saco de batatas e andou a rodopiar-me no ar. Aquele rapaz se não existisse tinha que ser inventado. 

(…)

Agora estava a hora de abrir todos os presentes. Olhei em redor para ver se a Mia e o Harry ainda se encontravam em casa mas não, já tinham saído. Queria mesmo que esta noite lhes corresse bem, mereciam. O primeiro presente que abri foi o do Niall. Eram uns ténis lindíssimos. Lembrei-me que já os tinha visto numa montra qualquer e de ter dito que gostava deles. Bem, andam atentos ao que eu digo. O segundo foi do Louis, era uma máquina fotográfica. A minha tinha-se avariado mas ainda não me tinha apetecido comprar uma nova. Aquela quase que podia fazer inveja às quinhentas máquinas fotográficas que a Mia tinha, o único senão era que eu não percebia nada daquelas geringonças. Tinha que lhe pedir ajuda. A seguir foi o do Liam, eram umas sandálias também lindas. Estava a ficar mal habituada com todos aqueles presentes fantásticos. A Danielle ofereceu-me uma mala, que por sinal era perfeita. Se a minha primeira impressão tinha sido positiva então agora estava aprovadíssima. Já só faltavam a da Mia, do Harry e do Zayn. Como o casalinho não estava, a do Zayn era a última.  

Ele agarrou a minha mão suavemente e levou-me até ao jardim da parte de fora da casa deixando para trás um borburinho criado pelos rapazes devido à curiosidade. Tive que olhar várias vezes para a minha mão, agora estava preenchida pela do Zayn, para ter a certeza que não estava a alucinar. Tudo me parecia demasiado perfeito e irreal. 

- Fecha os olhos. – pediu-me assim que a porta da cozinha se fechou atrás de nós. Olhei de relance para trás para ter a certeza que não encontraria nenhuma alminha a cuscar. Ainda pensei em reclamar mas estava demasiado ansiosa e curiosa para perder tempo em discussões. Acabei por os fechar – podes abrir – alguns segundos depois. Ele estava à minha frente e dava para perceber que tinha alguma coisa por detrás das costas. – Este é o meu primeiro presente! – devo ter ficado com uma cara de parva quando ele disse “primeiro”, isso significava que eram vários. Estava prestes a ter um ataque cardíaco apenas com pouco mais do que vinte minutos com dezoito anos. Por detrás dele apareceu um ramo de flores lindíssimas, as minhas favoritas, gardénias. Os meus olhos esbugalharam quando as vi nas minhas mãos. Fiquei sem palavras. Tinha-lhe falado no meu gosto por flores uma ou duas vezes, não mais do que isso. E ele lembrava-se! No meio delas reparei que havia um cartão. Parabéns princesa! Dizia em letras pretas.  

- Obrigada, Zayn. – foi a única coisa que o meu cérebro conseguiu articular – São lindas… - enquanto refugiava o meu olhar no branco pérola das gardénias. Sabia se o meu olhar encontrasse o dele ficaria mais vermelha que um tomate. 

- Não tanto como tu… - não precisava de ver para ter a certeza que o olhar dele estava posto em mim. A forma natural como me soou deixou-me completamente sem jeito. Foi desta vez que o meu coração deixou de funcionar. – bem, este é o segundo. – desviei o meu olhar das flores e desta vez era algo grande, retangular e não muito fino. Dei-lhe as flores para a mão para poder desembrulhar. De modo a não estragar o embrulho que era muito bonito tive que o fazer de maneira cuidadosamente. À medida que o objecto ia aparecendo por detrás do embrulho ficava ainda mais maravilhada. Assim que acabei pude ver na totalidade o presente. Era uma tela com uma fotografia nossa a preto e branco. 

- Oh Zayn… - exclamei. Tinha mostrado aquela fotografia à Mia para lhe dizer que queria pô-la num quadro. Gostava especialmente daquela fotografia, não sabia porquê, simplesmente gostava. – isto tem dedos da Mia! – acabei por dizer a sorrir

- Sim! – admitiu algo envergonhado – Foi ela que me disse que querias emoldurar essa fotografia e quando íamos revelar a fotografia vi uma coisa destas lá exposta e achei que gostarias…

- E achaste muito bem. Acredita, adorei! – os meus pés ganharam vida própria aproximando-me perigosamente do corpo de Zayn. As palpitações do meu coração subiram em flecha deixando a minha respiração descontrolada. Queria dizer-lhe que era o responsável por me fazer sorrir todos os dias, por me proporcionar momentos tão prazerosos e de tão impossíveis de descrever. – Obrigada! – proferi, abafado pela minha alta frequência cardíaca depois de ter depositado um beijo de agradecimento na sua face.

- Já agora posso saber o porquê de queres uma foto minha estampada na parede do teu quarto? – fiquei sem saber o que responder, não lhe podia dizer a verdade. 

- Bem, é uma boa pergunta! É simplesmente porque… - tentava a todo o custo inventar uma desculpa decente – porque…é porque achei a fotografia engraçada e pronto. Pensei que ficaria gira na parede do meu quarto. – tentei soar o mais natural possível mas não me pareceu. Como ele não disse mais nada fiquei aliviada.

- Este é o último. – desta vez entregou-me um saco pequeno para a mão. Conhecia aquilo de algum lado mas naquele momento não me recordava. Despreguei as pontas do saco e tirei de lá de dentro uma pequena caixa. Assim que a abri achei que estaria a sonhar. Era bom demais para ser verdade. Andava a “namorar” aquela pulseira à meses mas não a comprava pelo elevado custo. 

- Não posso aceitar. – acabei por dizer assim que voltei novamente para a realidade – ela custou-te balúrdios de dinheiro. Está fora de questão…

- O que está fora de questão é não aceitares! – tirou a caixa da minha mão e retirou a pulseira de dentro. Segurou no meu pulso e colocou-a. Ainda era mais perfeita no meu pulso. – vês, foi feita para ti. – aqueles olhos cor de avelã estavam agora postos em mim. Ele continuava a segurar a minha mão delicadamente enquanto a minha respiração teimava em falhar. Um formigueiro começava a formar-se naquela zona onde as mãos do Zayn contactavam a minha pele. Senti um espasmo a percorrer o meu corpo assim que os braços dele me envolveram delicadamente num abraço. Encostei a minha cabeça no ombro dele permitindo-me inalar o seu perfume – gosto muito de ti, princesa – a voz dele soou contra o meu pescoço juntamente com a respiração desfragmentada deixando-me com pele de galinha. Fechei instintivamente os olhos gravando na minha memória aquele momento mesmo sabendo que o que sinto não é correspondido por ele. 

- Eu também gosto muito de ti! – acabei por dizer com a voz visivelmente fraca e quase num suspiro. Porque é que eu tive que me apaixonar por ele? Nunca hei-de ser mais do que a amiga. Quero que o meu coração se desligue! Quero carregar no botão off e poder deixar de sentir isto. Voltei a sorrir quando os meus olhos encontraram de novo os dele. Era a única coisa que podia fazer.        

Quando voltamos novamente para a sala estavam todos expectantes para saber o que ele me tinha oferecido. Desviei o meu olhar para ele para saber se lhes podia mostrar os presentes. Ele disse abanou afirmativamente com a cabeça. Todos fizeram imensos comentários e alguns deles nem eu mesma percebi. Os rapazes estavam estranhos, segredavam entre eles. Não estava a perceber nada! 
Como já tinha aberto todos os presentes estava na altura de ir para a discoteca. Apareceram uns seguranças para nos levarem e para garantirem a segurança deles. Sem dúvida nenhum que com aqueles “monstros” me sentia segura! Eram enormes e cheios de músculo.   

(…)
Estava a diverti-me imenso, já quase não sentia os meus pés de tanto dançar, quando reparei que o Zayn não estava no mesmo sitio da última vez que olhara. Estranhei. Perguntei à Danielle que estava comigo se sabia dele mas disse-me que não. Comecei a procura-lo por entre aquela multidão. Tive que empurrar várias pessoas para conseguir passar por entre elas. Já estava a começar a ficar deveras preocupada, não o via em lado nenhum. Ele não se iria embora sem dizer nada. Saí do recinto fechado, era o último sítio onde ele podia estar. Finalmente encontrei-o, estava sentado no chão.

- O que é que se passa? – sentei-me ao lado dele – Porque é que vieste aqui para fora? – ele olhava pensativamente para o chão.

- Sou um parvo… - acabou por dizer algum tempo depois. Não estava a perceber patavina daquela conversa.

- Calma… - coloquei a minha mão no ombro dele fazendo-o estremecer – Não sei o que te faz pensar assim mas não é verdade…

- É verdade sim! – desta vez disse-o a olhar directamente para mim. Algo não estava bem com ele, algo o atormentava e eu não conseguia perceber o que era. 

- Zayn, és capaz de me explicar… 

- Vamos para dentro, é o melhor! – disse interrompendo-me. Levantou-se do chão e esticou mão para me ajudar a levantar também.

- Mas…

- Por favor! – acabei por tomar a mão dele e levantei-me. Ele podia não querer falar comigo agora mas não se escapava de uma conversa depois.

Ao entrarmos de novo, bem perto da entrada, estava a haver uma discussão bem acesa entre dois rapazes. Queríamos passar para o outro lado aonde estavam todos mas quando demos por isso já estávamos no meio daquela confusão toda. O Zayn apertou a minha mão com força e puxou-me mais para si. Foram apenas precisos meros segundos para me sentir projectada tanto para a frente como para trás por causa das pessoas querem se afastar. Havia gritos por todos os lados mas foi qualquer coisa a vir na minha direcção que me captou a atenção. Só tive tempo de baixar a cabeça e quando a levantei novamente aquele obejcto tinha acertado no Zayn. Antes que pudesse dizer alguma coisa apareceram dois homens grandes que reconheci serem alguns dos seguranças que tinham vindo connosco, que nos levaram para fora.    

- Zayn, estás bem? – fui ter com ele quando os braços do segurança me deixaram livre já fora da discoteca. Ele tinha o lábio arrebentado e estava a sangrar imenso.  

- Estou! É só um simples corte… - ainda estou para saber porque é que os homens têm a mania de se armarem em fortes só para não darem parte fraca.

- Não é nada só um simples corte. Estás a sangrar imenso…temos que ir ao hospital! – tirei um lenço da mão da minha mala e limpei-lhe algum do sangue sem o magoar.

- Estás a exagerar Nicole. – voltou a dizer desvalorizando a profundidade da ferida. 

- Zayn… - ele não me deixou continuar interrompendo-me

- Ouve-me Nicole. Não é preciso ir a hospital nenhum, vamos para casa e para te sentires mais descansada deixo-te desinfectar isto. Está melhor assim? 

- Teimoso! – refilei – Se é assim que queres, mas aviso já se isso não melhorar vamos ao hospital e sem desculpas!

- Certíssimo!

Os seguranças avisaram-nos que os restantes já estavam a caminho de casa como medida de segurança. Só faltávamos nós irmos para casa. Assim que chegamos fomos invadidos de perguntas. Explicamos a situação toda e que agora ele precisava de desinfectar a ferida. “Não está tudo perdido. Acabei de ter uma ideia ainda melhor!” ouvi o Louis dizer enquanto subia as escadas com o Zayn em direcção à casa de banho. Fiquei intrigada com aquela afirmação. Ao entrarmos deixei a porta aberta mas ao virar-me novamente para trás encontro o Louis a fechar a porta e a tranca-la com a chave.  

- Louis considera-te um homem morto! – ao mesmo tempo que tentava abrir a porta mas em vão. Estava trancada.

- Eu sei quando saíres daí me vais agradecer por isso vou fazer de conta que não ouvi o que acabaste de dizer! – não estava a acreditar que ele me tinha fechado na casa de banho com o Zayn. 

- LOUIS! – gritei enquanto batia na porta desesperadamente para que abrisse a porta

- Até amanhã! – não acredito que ele ainda se ria –  Portem-se mal… - foi a última coisa que ouvi do outro lado da porta. 

- Parece-me que estamos aqui trancados – olhei para trás e vi o Zayn um pouco assustado com a possibilidade de ficar o resto da noite trancado na casa de banho comigo.


13 comentários:

  1. Olá minha querida, confesso que já tinha IMENSAS saudades dos teus capítulos. Como é que têm corrido as férias? Estão a ser divertidas? Tens aproveitado? Espero que esteja tudo a correr do teu agrado.
    Fiquei bastante agradada por este capítulo ser narrado pela Nicole.
    Os presentes dos meninos pareceram-me excelente mas ... os do Zayn foram os melhores.
    O facto de ele prestar atenção aos pequenos detalhes de cada conversa faz-me realmente feliz. Tenho quase a certeza porque é que o Zayn se isolou e porque é que se estava a insultar ... É tão óbvio mas só eles é que não vêm.
    O capítulo está excelente minha querida.
    Como é que estão a correr as one-shots?
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. espero q o zayn se declare . a tua fic ta fantastica,tens emenso jeito

    ResponderEliminar
  3. o teu blog e: lindo,maravilhoso,fantastico,perfeito,unico

    ResponderEliminar
  4. OMG!
    Pensei que me ias matar do coração já hoje x)
    Amei o capítulo, é impossível não amar ^^
    Suponho que tenhas tido uma boa semana para teres escrito algo tão bonito.
    Eu quero uns amigos como os dela! Só presentes fixes e caros xD
    Agora ainda estou mais ansiosa por saber como vai correr a noite do Zayn e da Nicole xb
    Aahah
    - Beijinho's

    ResponderEliminar
  5. Bem, posso só dizer que ADORO a tua fic! é que ADORO mesmo. Ficava mesmo desiludida de cada vez que abria a tua pagina e não aparecia nenhum capitulo novo, ahah. Mas bem, um pequeno pormenor (não te preocupes, a tua fic está maravilhosa xD): eu tenho uma cena parecida, mas ao mesmo tempo diferente, na minha fic. Ainda não a publiquei, pq ainda não chegou a essa parte, mas já a tenho escrita há bué tempo. Ahah, parece que agora temos ideias parecidas, mas mesmo assim, gosto mais da tua fic :p. Nunca desistas de escrever, penso que se apostares realmente nisto, podes ter carreira. Nunca pensaste nisso? Eu sem dúvida compraria um livro teu, e penso que não seria a única.
    Espero por mais - Filipa xx

    ResponderEliminar
  6. Amei, sinceramente *.*
    Parabéns, continua! ;)

    ResponderEliminar
  7. Olá, estou viciada na tua fic, estou ansiosa para o próximo capitulo :D
    Já estás na minha lista de blogs favoritos, no meu blog!
    Beijinhos!

    http://mythougsnf.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. OMC!!
    Adoro o teu blog, só comecei a ler agora mas está um máximo!!!
    ADORO, muitos parabéns, tens muito jeito.

    ResponderEliminar
  9. Olá linda :)
    Gosto muito do teu blog e da tua fic :)
    Por favor podes divulgar e seguir o meu blog: http://quemamacredita.blogspot.pt/
    Obrigada
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  10. adoro a tua historia
    é simplesmente viciante :)
    beijinhos

    ResponderEliminar

Deixa a tua marca xD