segunda-feira, 14 de maio de 2012

14º Capitulo - A razão perdeu para o coração (Parte I)




Depois daquele dia na praia, o Harry andou o dia seguinte com alguma tosse e falha de voz. Recebemos, por isso, uma reprimenda por parte do Paul por termos apanhado frio e por o Harry estar no estado em que estava. Chamaram logo um médico que lhe deu alguma coisa para ele tomar e informou que o Harry precisava de uma boa noite de sono e que no dia seguinte iria reavalia-lo. Por precaução, o médico também viu os restantes rapazes mas nenhuns deles parecia ter algum resquício de uma futura constipação. Não dormi praticamente nada por estar preocupada com ele. Assim que os primeiros raios de sol entraram pelo meu quarto dentro, levantei-me rapidamente e vesti-me. Quando cheguei ao quarto do Harry estavam os rapazes todos á porta com uma cara um pouco triste.

- Então, o que se passa? – perguntei de imediato – como é que ele está?

- Piorou durante a noite! – respondeu-me o Zayn. Foi como se o mundo abatesse sobre mim. – ele não vai poder sair. Tem de ficar de cama…nenhum de nós se pode aproximar muito dele para que não nos apegue a gripe.

- Posso vê-lo? – o Liam abanou afirmativamente a cabeça por isso entrei.

Reparei que ele estava a dormir. Fechei a porta fazendo o mínimo barulho possível e sentei-me na beira da cama onde ele se encontrava deitado enquanto eles decidiam o que fazer. Partia-me o coração ao vê-lo naquele estado. Inclinei-me um pouco sobre ele e pousei a minha mão sobre a testa dele no intuito de perceber se a febre ainda estava alta. Afastei cuidadosamente os inúmeros caracóis perfeitamente desalinhados que tinha sobre a testa e puxei-os para o lado de modo a deixar o rosto descoberto dos cabelos. Ele abriu os olhos assim que sentiu a minha presença contra a pele dele. Os lábios dele transformara-se num belo sorriso fazendo-me sorrir também. O meu primeiro pensamento foi tirar a mão mas não consegui, havia uma força superior á minha. Deixei a minha mão deslizar sobre a face direita do Harry num movimento lento. Vi-o fechar os olhos ao mesmo tempo que sentia alguns tremores por parte dele. Quando ia tirar a mão, ele colocou a mão dele sobre a minha continuando de olhos fechados. Estremeci dos pés á cabeça. Já há demasiado tempo que não sentia a pele dele contra a minha. Ele voltou a abrir os olhos a sorrir provocando-me uma breve paragem na respiração. Tirou a minha mão da face dele e pousou-a em cima do seu peito com a dele por cima. Tive a perceção total do bater do coração dele, intermitente e descompassado. Os dedos dele entrelaçaram nos meus com delicadeza exercendo uma leve pressão. Foi naquela altura que percebi o porquê de termos aqueles espaços entre os dedos, eram para ser preenchidos pelos dedos de outra pessoa. Com o polegar dele começou a imprimir força contra as costas da minha mão desenhando círculos. Adorava que me fizessem isso pois proporcionava algumas cocegas.

As vozes dos rapazes e o barulho da porta do quarto a abrir fez com que a minha mão viajasse do peito dele até pousar na cama. Mas ele não tinha a mesma ideia e voltou a agarrar a minha mão fitando-me. Aqueles olhos azuis esverdeados fizeram-me esquecer que os rapazes já tinham entrado no quarto. Estava completamente embrenhada em sentimentos tão profundos que me fizeram também corresponder aquele toque.

- Não acredito que o amor da minha vida está doente… - afirmou o Louis no seu tom de brincadeira arrancando algumas gargalhadas dos presentes – queres que fique doente também por solidariedade?

- Quero! – respondeu Harry com a voz rouca. Era a primeira vez que o ouvira, ele estava praticamente sem voz. Num abrir e fechar olhos, o corpo do Louis caiu ao lado do Harry, deitando-se. Aquela acção provocou logo uma reação por parte do Liam.

- Saí daí Louis! – exclamou o Liam – Já nos chega um doente, não precisamos de dois. Vá, sai de ao pé dele antes que fiques como ele! – ordenou

- Eu tenho que sair mas a Mia pode ficar… – respondeu num tom sério mas também brincalhão. Acho que se houvesse um buraco onde me pudesse enfiar, tê-lo-ia feito.  

- Por acaso é a Mia que canta? – perguntou o Liam. Aquela discussão ridícula sobre quem é que haveria de ficar com o Harry só se deu por concluída com a voz do Paul assombrou o quarto pondo todos em sentido.

Finalmente iriamos saber a decisão. Ele explicou que os rapazes iriam à mesma fazer o que estava combinado mesmo sem o Harry, excepto o concerto. O Harry estava mesmo muito aborrecido por não poder ir com os restantes. Ele achava que estaria a desiludir as fãs se não fosse. Mas esse sentimento de culpa não fez com que o Paul mudasse de ideias e proibiu o Harry de pôr os pés fora da cama até estar completamente restabelecido da voz.

Os rapazes tiveram que sair para se irem preparar e eu acabei por ficar com o Harry, pelo menos até eles se aprontarem. Como já tinha tudo a jeito não precisava de ir arranjar nada. O Paul olhou para mim com um olhar de poucos amigos e depois suspirou.  

- O que é que eu faço com estes jovens? – perguntou olhando para cima – diz-me, porque é que estes rapazes só atraem raparigas para o pé deles? – olhei para o Harry e ele para mim e rimo-nos. O Paul acabou por se rir também – quando tivermos prontos mando-te mensagem e desces logo, ouviste bem Mia? – acenei afirmativamente com a cabeça e ele saiu do quarto, deixando-nos a sós.
     
- Precisas de alguma coisa? – perguntei-lhe. Ele apenas abanou negativamente com a cabeça. Queria ter uma conversa minimamente coerente com ele mas as palavras faltavam-me. Levantei-me da cama e dirigi-me até á janela – A Colbie vem a caminho. Os rapazes contaram-lhe e ela já vai apanhar o voo, deve chegar logo á tarde. – informei-o sem saber muito bem porquê. Fechei os olhos por breves momentos tentando controlar o sofrimento proveniente do meu coração que queria fazer derramar lágrimas pela minha face. Voltei a encara-lo e vi que ele estava a preparar-se para sair da cama. – Mas que raio pensas que vais fazer? – impulsionei-me para junto dele não o deixando levantar-se. – é para ficares quietinho na cama! – ordenei fazendo com que ele voltasse a pôr as pernas por entre os lençóis brancos.

- Então não saias de ao pé de mim… - a voz rouca e praticamente afónica dele rompeu pelo meu corpo a dentro e deixou o coração a tremelicar. Nunca tinha sentido tal coisa em toda a minha vida. Parecia que o meu corpo estava envolto em vários espasmos interiores. Não consegui dizer que não aqueles olhos. Encostei-me á cabeceira da cama e sentei-me. Ele colocou a cabeça dele em cima do meu colo enquanto tentava arranjar a melhor posição das pernas para que ele não se sentisse desconfortável.

- Tens a certeza que não queres uma almofada? – perguntei – não quero que fiques numa má posição.

- Está perfeito…assim! – deixei de seguir o que estava certo, o coração levou a melhor sobre a minha cabeça e segui o que me mandava fazer. A minha mão, carinhosamente, brincava com os múltiplos caracóis que emolduravam o rosto perfeito dele. Ao mesmo tempo que fazia algumas “festinhas” pelo rosto dele. Um sorriso formou-se no meu rosto mesmo sem eu querer. Estava irremediavelmente apaixonada de novo. Os meus pensamentos só foram despertos com o som do meu telemóvel a tocar. Era sinal que tinha que me ir embora.

- Harry, tenho que ir! – informei-o – tens que levantar a cabeça para eu poder sair. Não te quero magoar…

- Fica comigo…por favor! – disse sem tirar a cabeça do meu colo. Aquela frase deixou-me sem saber o que dizer. Por um lado não me queria ir embora mas por outro tinha trabalho para fazer.



-----

Ola!!

O teste de matemática correu bem, acertei em todos os exercícios. Tipo, isto é surreal! Ainda nem acredito que vou ter 20! Mas bem, passando a frente, fiquei super inspirada! Espero que gostem do capitulo e que deixem a vossa opinião. É sempre importante para mim...

Queria também informar que estou quase a chegar aos 100 comentários. É outra coisa que também é surreal. Nunca pensei que gostassem. E por isso tive a ideia de congratular o comentário número 100 com um imagine feito por mim. =) Espero que gostem!

Como o meu comentário já está a ficar um bocado lá para o extenso vou-me calar! :P

beijinhos

Dri



7 comentários:

  1. ESTOU A AMARRRRRRRRR :D
    quero o próximo , pf *-*

    ResponderEliminar
  2. Publica outro por favor :) adorei

    ResponderEliminar
  3. Está tãoooo perfeito *-*

    ResponderEliminar
  4. Adoreiii XD Põe rápido, please :)

    ResponderEliminar
  5. Dri, sou uma leitora assídua do teu blog e ADORO. Criei há pouco tempo um Tumblr e queria pedir-te que me deixasses postar a tua história lá. Obviamente dizia que a história não era minha e punha o link do teu blog. O que achas? O link é: http://im-the-real-sexy-and-you-know-it.tumblr.com/

    ResponderEliminar

Deixa a tua marca xD